E-MAIL

LIVROS ELETRÔNICOS

LIRA E POESIA - AMOR E SONHO

""Saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença. Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida."
Clarisse Lispector

 

Scribd

LEVEZA DO AMOR - SONHO E POESIA

"Nada é pequeno no amor. Quem espera as grandes ocasiões para provar a sua ternura não sabe amar."
Laure Conan

 

Scribd

A LENDA DO MENINO TRISTE
Segunda Edição

"Este trabalho serviria como mais uma carinhosa homenagem ao meu chão natal, de certo a última, e aos gaúchos entre os quais tive amigos hoje residentes na eternidade, salvo uns poucos..."

 

Scribd

PISA AMIGA, DEVAGAR

"Este poeta que faz arte com os pensamentos e histórias,joão justiniano, trás um pouco de imaginação para a nossa cabeça tão cheia de trabalho...
Filipe Nunes
"

 

Scribd

SELETA EM LÍRICA E PARNASO
Primeira edição

" João é um poeta completo e um
mestre do soneto que, longe de
engessar sua criatividade, apenas
limita o campo visual de suas ideias."

              

 

Scribd

BRADOS DO SERTÃO - Segunda edição

" Este livro está completando
cinqüenta anos da primeira edição
(15 de fevereiro de 1964).
A segunda veio logo depois e se esgotou.
Não encontro o que reduzir no texto
original, senão o que acrescentar
no que se refere à pobreza e a desatenção
do Poder Público para com o Sertão
Nordeste. Amo-o. Talvez seja o meu
melhor trabalho literário. Um grito
de alerta, um protesto ainda hoje válido."

              João Justiniano da Fonseca

 

Scribd

CACIMBA SECA - Segunda edição

" Sem pretender uma ficção histórica,
mas antes acompanhar a trajetória do
homem, João Justiniano, através de
Domingos de Afonseca e Azevedo,
levanta o desbravamento da caatinga
e a fundação da Aldeia das Rodelas.
"

              João Justiniano da Fonseca

 

Scribd

A VIDA DE LUIZ VIANA FILHO
Segunda Edição

"LUIZ Viana Filho é, por si, um título de glória para o nosso país", diz Austregésilo de Athayde. E Josué Montello o chama de "o mais polido de seus contemporâneos, o mais civilizado dos brasileiros. Íntegro. Superior. Obra-prima do bom gosto de Deus".
              

 

Scribd

GRILAGEM - Segunda edição

" O grileiro, eu conheço,
é um criminoso impune,
um gatuno de espécie a
mais abjeta e ignara,
que prova em seu favor
e em seu favor reúne a
polícia que ajuda e
justiça que ampara."

              João Justiniano da Fonseca

 

Scribd

NO CORRER DO TEMPO - Segunda edição

" João Justiniano da Fonseca.
Rodelas, na Bahia. Velho Chico.
Ilha, canoa, cana, rapadura.
Fazenda na caatinga, boi e vaca."

              João Justiniano da Fonseca

 

Scribd

CANTO DE NATAL

"O teu Natal seja ameno,
alegre, com vinho e pão.
Na mente o berço de feno,
o Cristo no coração.
"
              Joao Justiniano da Fonseca

 

Versão ZIP/PDF

LEVEZA DO SONETO
Volume I

Seus poemas cursam distintos estuários, o dos 14 versos hugonianos, ele que é sonetista exímio, e o dos poemas soltos, em que se identifica com as modernas correntes.

 

Versão ZIP/PDF

LEVEZA DO SONETO
Volume II

Seus poemas cursam distintos estuários, o dos 14 versos hugonianos, ele que é sonetista exímio, e o dos poemas soltos, em que se identifica com as modernas correntes.

 

Versão ZIP/PDF

PINDORAMA

É vinte e dois de abril, as caravelas vem do alto mar e alcançam Pindorama. Ancoram a distância. A vista inflama o entusiasmo nauta. Das procelas temíveis, das temíveis calmarias, os marujos trouxeram fantasias (...)

 

Versão ZIP/PDF

SERTÃO, LUZ E LUZERNA

Entram os contos de sertão e pouco mais; as histórias iluminadas, inspiradas no extraordinário. (João Justiniano da Fonseca)

 

Versão ZIP/PDF

CANTIGAS DE FUGA AO TÉDIO

A cantiga é uma das mais belas manifestações da poesia em todos os tempos. "Canto porque o canto existe/ e minha vida está completa./ Nao sou alegre nem sou triste/ sou poeta", registra Cecília Meireles...

 

Versão ZIP/PDF

SOLIDARIEDADE

"O caçador e as pombas! Dói. Há, entretanto, a desculpa de que a ave sacrificada servirá de alimento a seus filhos. Será justo - o outro, entretanto - o abate de uns em benefício de outros?"

 

Versão ZIP/PDF

O CRIME DA FARMÁCIA

João Justiniano da Fonseca aventura-se pelo terreno escorregadio da novela policial e o resultado é uma trama bem urdida, surpreendente com a narrativa fluente e gostosa de ser lida que lhe é característica.

 

Versão ZIP/PDF

MEMÓRIAS DE PEDRO MALACA

A matéria prima deste romance é o ser humano, que, independentemente do meio em que viva, não muda em suas mais íntimas aspirações, desejos e necessidades e busca tão somente sobreviver.

 

Versão ZIP/PDF

LUIZ VIANA FILHO, O Jornalista
Volume I

João Justiniano da Fonseca resgata nesta antologia um painel vivo e atualizado de um período de nossa História. Obra de referência obrigatória para quem desejar entender nosso pais e sua política.

 

Versão ZIP/PDF

LUIZ VIANA FILHO, O Jornalista
Volume II

Esta Antologia, pesquisada e selecionada por João Justiniano da Fonseca, destaca a mente brilhante, corajosa e crítica de um de nossos mais importantes jornalistas.

 

Versão ZIP/PDF

CRÔNICA DOS DEUSES

"Estamos no monte de Nebo, bem no alto de Fasga. Aqui é a última visita do Senhor a Moisés, Sua derradeira fala, as declarações finais, apoteose." Assim começa João Justiniano sua interpretação da história de Moisés...

 

Versão ZIP/PDF

RIO GRANDE DO SUL

"Rio Grande do Sul, se se pudesse um ninho de afeto construir, de chimarrao, de vinho, seria uma delícia ergue-lo nos meus braços..."

 

Versão ZIP/PDF

COLEÇAO "POETAS EM FÉRIAS"

SONETOS

JOÃO JUSTINIANO DA FONSECA

 

Versão ZIP/PDF

BRADOS DO SERTÃO

"É, em tese, a história de famílias e famílias nordestinas, a história do próprio Nordeste, vista pelo poeta que também foi retirante."

 

Versão ZIP/PDF

AQUELE HOMEM

"Em uma festa de aniversário, depois da terceira dose de uísque, (...) um amigo me deu um pequeno fiapo (ponha o leitor o polegar separado do indicador um centímetro e diga - deste tamanho). Contou a história...."

 

Versão ZIP/PDF

GRILAGEM

O grileiro, eu conheço, é um criminoso impune, um gatuno de espécie a mais abjeta e ignara, que prova em seu favor e em seu favor reúne a polícia que ajuda e a justiça que ampara. (João Justiniano da Fonseca)

 

Versão ZIP/PDF

SAFIRAS E OUTROS POEMAS

A edição gráfica deste livro data de 1960 e corresponde à minha primeira publicação. (...) Nele há de tudo - poesia tradicional, vezes cheirando a romântico, vezes conformada ao parnasiano.(João J. da Fonseca)

 

Versão ZIP/PDF

CACIMBA SECA

"Sem pretender uma ficção histórica, mas antes acompanhar a trajetória do homem, João Justiniano, através de Domingos de Afonseca e Azevedo, levanta o desbravamento da caatinga e a fundação da Aldeia das Rodelas..."

 

Versão ZIP/PDF

SONHOS DE JOÃO

"Eis de volta ao público o poeta,  trazendo mais um de seus brilhantes trabalhos que há de ser uma outra parcela de valor destinada a aumentar e enriquecer o seu já notável agregado de sucessos." (A. de Carvalho Mélo)

 

Versão ZIP/PDF

TERRA INUNDADA

"Seus dramas sertanejos têm muito de tragédia grega. A força criativa já revelada em "Cacimba Seca", (...), confirma-se nesse "Terra Inundada"..." (Wilson Lins)

 

Versão ZIP/PDF

SONETOS DE AMOR E PASSATEMPO

"Neste livro (João Justiniano da Fonseca) confirma-se como sonetista seguramente exercitado no manejo do verso métrico."

 

Versão ZIP/PDF

RODELAS - CURRALEIROS ÍNDIOS E MISSIONÁRIOS - Volume I

"O livro (...) representa como que o cumprimento de seu dever de filho para com o torrão natal. Entendeu que lhe cumpria escrever a história do seu município." (Jorge Calmon)

 

Versão ZIP/PDF

RODELAS - CURRALEIROS ÍNDIOS E MISSIONÁRIOS - Volume II

"O livro (...) representa como que o cumprimento de seu dever de filho para com o torrão natal. Entendeu que lhe cumpria escrever a história do seu município." (Jorge Calmon)

 

Versão ZIP/PDF

LUIZ VIANA FILHO
Política de Oposição e Defesa da Bahia

"Isto é um resgate. Sessenta e um anos de folha e prensa deixou Luiz Viana Filho no jornal A TARDE. Somem-se os quatro anos do Diário da Bahia, para fechar os sessenta e cinco de jornal."

 

Versão ZIP/PDF

       A VIDA DE LUIZ VIANA FILHO
"LUIZ Viana Filho é, por si, um título de glória para o nosso país", diz Austregésilo de Athayde. E Josué Montello o chama de "o mais polido de seus contemporâneos, o mais civilizado dos brasileiros. Íntegro. Superior. Obra-prima do bom gosto de Deus".

 

Versão ZIP/PDF

NO CORRER DO TEMPO
MEMÓRIAS

     "João Justiniano da Fonseca.
     Rodelas, na Bahia. Velho Chico.
     Ilha, canoa, cana, rapadura.
     Fazenda na caatinga, boi e vaca."

 

Versão ZIP/PDF

O CÍRCULO DA VIDA
Duas glosas e treze coroas de sonetos

"Para receber críticas e cipoadas é este trabalho. Sem queixas, sem constrangimento.Quem escreve bobagens há de estar preparado para conhecer os reclamos de quem lê."

 

Versão ZIP/PDF

A VIDA DO POETA
SONETOS

"A vida do poeta é uma flor entreaberta, uma esperança, um canto, a ilusão pressentida, o gosto do trabalho e da vitória certa, e, com certeza a dor, que robustece a vida."

 

Versão ZIP/PDF

CANTO MENOR EM REDONDILHA MAIOR

"Nunca olhes para trás,
olha à frente, sê capaz
de pensar que o mal passou.
Com certeza hás de chegar
aos oitenta sem cansar
igual assim como estou."

 

Versão ZIP/PDF

BORDAR O CANTO DE LUZ

"Borda de luz de arrebol e um pouco de meio-dia sob o teu chapéu de sol. Uns raios da Ave Maria... - Borda teu canto de fé!" Assim João Justiniano inicia seu bordado poético repleto de lirismo, amor e paixão.

 

Versão ZIP/PDF

MEMORIAL DULCINA LIMA

"Dulcina Lima é uma das glórias maiores de Rodelas. Há outras, de grandeza equivalente. Nenhuma, entretanto que renunciasse a tudo seu para servir à terra natal."

 

Versão ZIP/PDF

A COLONIZAÇÃO E O MASSACRE

"A abordagem histórica do Povo Guarani, amplamente trabalhada pelos autores contemporâneos, é superficial, e visa somente destacar o massacre a que foi submetido o nativo brasileiro de norte a sul..."

 

Versão ZIP/PDF

A LENDA DO MENINO TRISTE

"Este trabalho serviria como mais uma carinhosa homenagem ao meu chão natal, de certo a última, e aos gaúchos entre os quais tive amigos hoje residentes na eternidade, salvo uns poucos..."

 

Versão ZIP/PDF

AS CRIANCINHAS DE DEUS
(Celibato e Pedofilia na Igreja)

"A criança perplexa, olhava sem pranto e sem ação, talvez sem sentido. Inês a tomou pelo braço, ergueu-a, recompôs-lhe as roupas meio rasgadas, abraçou-a fortemente."

 

Versão ZIP/PDF

 

[O AUTOR] [ACERVO] [LIVROS IMPRESSOS] [LIVROS ELETRÔNICOS] [AMIGOS] [BIOGRAFIA] [GALERIA DE FOTOS] [OPINIÕES] [PRÊMIOS] [REVISTAS-Casa do Poeta Brasileiro em Salvador] [TEXTOS] [LIVRO DE VISITAS]